Programa De Olho no Lixo ganha prêmio Firjan Ambiental 2020 na categoria Resíduo Sólido e inaugura exposição com o desafio: ‘Quanto vale seu resíduo’

Quanto vale o seu resíduo?

Programa De Olho no Lixo ganha prêmio Firjan Ambiental 2020 na categoria Resíduo Sólido e inaugura exposição com o desafio: ‘Quanto vale seu resíduo’ na qual artistas do Eco Moda e do Funk Verde transformam resíduos em roupas e instrumentos musicais e a Cooperativa Rocinha Recicla gera renda para os seus cooperados, a partir de doações de resíduos entregues no local

O Programa De Olho no Lixo lança exposição com moda e instrumentos musicais produzidos a partir de resíduos e monta ponto de entrega de resíduos recicláveis, no Espaço Convivência Sustentável (Ecos), da SEAS, na Lagoa Rodrigues de Freitas, ao lado da colônia de pescadores, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Fruto de cooperação técnica entre o Viva Rio, Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade (SEAS), o Instituto Estadual do Ambiente (INEA) e a com apoio da Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ), o programa desenvolve ações socioambientais com foco na gestão integrada de resíduos, desse 2016, nas favelas da Rocinha, Vidigal e Roquete Pinto, na Maré.

A grande sacada desse projeto é que, além de minimizar o impacto do manejo inadequado que o lixo causa nessas regiões, gera trabalho e renda com reaproveitamento e reciclagem.

Simples e eficiente.

Em quatro anos, o projeto – que acabou de ganhar do Prêmio Firjan Ambiental 2020, categoria Resíduos Sólidos – trabalhou para dar destino correto e adequado a mais de 1,8 toneladas de resíduos e 4,5 mil litros de óleo de cozinha.

Até novembro de 2020, atendeu, por meio do Eco Moda, mais de 400 alunos e foram produzidos 1,6 mil peças de vestuário e 3,5 mil máscaras doadas às comunidades. Já pelo Funk Verde, produziu 550 peças, instrumentos e miniaturas, além de ter criado nove composições musicais. Foram cerca de 500 alunos envolvidos neste projeto musical.

Com a campanha ‘Quanto Vale o seu Resíduo?’ “Queremos transformar a cultura do lixo em cultura do resíduo, gerando trabalho, renda e cidadania ecológica no Rio de Janeiro, beneficiando as comunidades da Rocinha, Vidigal e Roquete Pinto, na Maré”, explica a coordenadora da área Socioambiental do Viva Rio, Márcia Rolemberg, nasceu a exposição ‘Quanto vale seu resíduo’.

Foram produzidos para esta exposição 75 peças, das quais: 30 vestidos, 20 bolsas, 05 calças, 10 blusas e 10 bijuterias. A cartela de cores parte do azul. Isso por conta de uma doação de mais de uma tonelada de uniformes. O processo criativo da exposição de moda tem assinatura de Almir França na coordenação. A mostra ainda conta 196 instrumentos musicais produzidos a partir da reciclagem, entre tambores, chocalhos, baterias e cavaquinhos. Nessa parte da exibição, quem coordena é a Regina Café.

Exemplo do bem: população poderá doar resíduos

A mostra, que está em cartaz no Espaço Convivência Sustentável (EcoS), da Secretaria do Ambiente e Sustentabilidade do Estado do Rio de Janeiro, na Lagoa Rodrigo de Freitas, ficará aberta ao público de quarta a domingo, de 9h às 16h.

No mesmo local foi instalado o Ponto de Entrega Voluntária para promover o descarte correto de resíduos e o encaminhamento para reutilização e reciclagem. Poderão ser doados tecidos (resíduos têxteis, tecidos, roupas usadas, retalhos, aviamentos e adereços), vidros (garrafas de vidro, potes de conserva, frascos de perfume e cosméticos), óleo de cozinha (frio e coado em garrafas plásticas limpas e com tampa) e metal (latas de bebidas, latas de conservas, latas de óleo, latas em geral). Além de plástico (copos descartáveis, embalagens PET, sacolas plásticas) e papel (caixas de papelão, revistas, jornais, papel de escritório, envelopes, folhas de cadernos, embalagens Longa Vida). Eletrônicos não são permitidos.

Para doar entre no face, insta, nas nossas redes sociais.

Serviço
Exposição ‘Quanto vale seu lixo’ e Ponto de Coleta de Reciclagem: Espaço Convivência Sustentável (EcoS), Lagoa Rodrigues de Freitas, ao lado da colônia dos pescadores, na Zona Sul do Rio de Janeiro.
De quarta a domingo, das 9h às 16h.

Postado em Notícias.