Homenagem a Amaro Domingues, agora nome de teatro

Evento reuniu lideranças e moradores da Maré, colaboradores do Viva Rio e parentes de Seu Amaro

Sonia Maria Domingues, filha de seu Amaro fazendo uma oração para começar o evento, como era costume do pai – Foto: PH de Noronha

 

Amaro Domingues – nosso querido Amaro da Maré – recebeu nesta quarta-feira (11/8) uma bela homenagem do Viva Rio, que ele ajudou a fundar. A sede do Viva Rio, no Cantagalo (Ipanema), tem agora o Teatro Amaro Domingues, inaugurado com um evento repleto de emoção, lembranças e histórias do líder comunitário da Maré. E regado com a música do Coral do Instituto Sabendo Mais, que levou 16 crianças cantoras regidas pelo maestro Fabiano Monteiro.

Realizado com todos os protocolos de segurança contra a Covid-19, incluindo o uso obrigatório de máscara e distanciamento, o evento contou com a presença da família de Seu Amaro; da jornalista Regina Zappa (autora do livro “Amaro da Maré”); de Cristian Nacht, diretor executivo da Vila Olímpica da Maré; de moradores e lideranças da Maré; e da diretora presidente do Instituto Sabendo Mais, Sandra Garcia.

A homenagem começou com um bate-papo conduzido por Regina Zappa, que conversou com Aline da Costa Cunha, coordenadora da Vila Olímpica, Cristian Nacht e lideranças do Viva Rio – o presidente Sebastião Santos, o diretor de Desenvolvimento Institucional, Rubem César Fernandes, e o coordenador de Articulação, Osmar Vargas.

Sebastião Santos contou que o Viva Rio não seria o que é se não tivesse convivido com o Seu Amaro. Ele lembrou que a espiritualidade e amor eram marcantes na vida do líder comunitário: “Se tem uma coisa que diferenciava o Amaro de todos nós era a sua espiritualidade. Ele levou ao extremo o amor, o verso bíblico ‘amai-vos uns aos outros’”.

Aline da Costa Cunha, que conheceu Seu Amaro desde a infância, falou, emocionada, da relação dos dois e do quanto a Vila Olímpica da Maré – projeto implementado por ele – mudou a sua vida: “Aprendi muito com Seu Amaro. Pude ouvir seus jargões, seus conhecimentos bíblicos, sua fé. Ele é nossa família e sempre vai existir dentro de nós”.

Aline agradeceu ao Viva Rio pela iniciativa: “Que esse teatro transmita muito amor e que o nome dele seja lembrado”.

Cristian Nacht lembrou que o Viva Rio esteve presente na fundação da Vila Olímpica da Maré. Nos últimos 10 anos, ele conviveu mais de perto com Seu Amaro e disse que ele foi um dos maiores líderes que já conheceu. “Era uma pessoa muito marcante. Ligava diretamente para prefeitos, governadores, senadores. E nunca se achou superior por causa disso. Ele não se achava nada mais do que um morador da Maré que cuidava do próximo. Conhecia a todos da comunidade e todos o conheciam”, relembrou.

Após o bate-papo, o coral das crianças do Instituto Sabendo Mais fez uma belíssima apresentação. O coral existe desde 2001, ano de fundação do Instituto, que nasceu na Vila Olímpica e hoje está presente, também, em outras comunidades do Rio. É composto por crianças alunas das escolas públicas da Maré.

Crianças do coral do Instituto Sabendo Mais – Foto: PH de Noronha

 

A filha de seu Amaro, Sonia Maria Domingues, se emocionou ao ver que os ensinamentos de seu pai estão vivos. “Para mim é importante saber que mesmo depois de sua morte nós levamos o legado do meu pai. Estamos aqui colhendo o fruto de uma semeadura que ele fez em sua trajetória de vida. Para mim, foi uma emoção muito grande, uma alegria saber que ele está sendo reconhecido por pessoas que realmente o amam”, conta.

Colaboradores do Viva Rio também ficaram emocionados ao ouvir as histórias sobre a vida de Seu Amaro. Thiago Oliveira, do setor administrativo da Academia Pérolas Negras, gostou de saber da história de Amaro Domingues, que não chegou a conhecer pessoalmente. “Ver as crianças ali cantando me emocionou muito, porque é o que vai dar continuidade ao trabalho dele. É essa geração que vai fazer seu legado se prolongar”.

Amaro Domingues nasceu em Campos dos Goytacazes, Norte do estado do Rio. Chegou à Maré em 1962 e foi um dos fundadores da União das Associações de Moradores da Maré (Unimar), com o objetivo de encaminhar as demandas da comunidade do Complexo e fortalecer o diálogo dos líderes comunitários com o poder público.

Representando a Unimar, Seu Amaro foi à Brasília, em 1995, para entregar o projeto da Vila Olímpica ao assessor do então ministro dos Esportes, Pelé. Também participou do início do Viva Rio, onde ocupou uma cadeira no Conselho de Administração.

 

Postado em Notícias.