Hospital Municipal Oceânico (Niterói)

O Hospital Oceânico foi um dos maiores desafios já enfrentados pelo Viva Rio na gestão de uma unidade de saúde.

A licitação ocorreu em tempo recorde, logo no início da pandemia de Covid-19 no Brasil, em março de 2020. O Viva Rio teve que assumir imediatamente, em 24 horas, o comando de um hospital que estava sendo montado com 140 leitos de CTI para atender a pacientes graves com Covid-19.

Os desafios foram grandes e diversos: arquitetura hospitalar, engenharia, aquisição de equipamentos, contratação de pessoal, ativação de serviços de vários fornecedores, elaboração de protocolos médicos, treinamento, implantação de uma filosofia de atendimento humanizado em meio ao caos pandêmico. Tudo com prazo mínimo de poucos dias para viabilizar a unidade, que foi inaugurada no dia programado, 10 de abril de 2020.

O primeiro mês foi de intenso trabalho, muita urgência e bastante aprendizado. A taxa de mortalidade dos pacientes que entravam no CTI era de 50% e não se sabia direito por que motivo as pessoas morriam, a nova doença ainda era uma grande desconhecida de todo o mundo. Em poucos meses, essa taxa foi reduzida a menos de 25%.

Um ano depois, o Hospital Oceânico já era referência nacional de tratamento de Covid-19. Mais de mil colaboradores continuam trabalhando na unidade.

O Oceânico foi fundamental para evitar o colapso da rede pública de saúde de Niterói: nenhum paciente ficou sem leito de CTI na cidade durante a pandemia.